Mulheres quilombolas: territórios de existências negras femininas

Selma dos Santos Dealdina

Vozes historicamente silenciadas encontram em Mulheres quilombolas espaço para compartilhar saberes a partir de suas perspectivas, como faziam nossos ancestrais reunidos em torno do fogo, no ritual de transmissão e perpetuação de conhecimentos basilares para a comunidade. As autoras trazem para a roda uma diversidade de pautas em geral invisibilizadas na sociedade, contribuindo com suas visões de mundo, seus conhecimentos acadêmicos e suas experiências de vida para abrir novas possibilidades de debate. Assumindo o lugar de guardiãs dos saberes ancestrais, de lideranças políticas, de mulheres racializadas na sociedade, expõem em suas reflexões os muitos atravessamentos que a discussão em torno do que é ser mulher quilombola abarca. Para além da pauta identitária, como protagonistas de suas próprias histórias, as autoras denunciam os muitos percalços enfrentados pela população quilombola - que existe (e resiste) em torno de quatro mil comunidades em quase toda a extensão do Brasil -, lamentavelmente pouco divulgados e discutidos na mídia e em nossos círculos sociais. Uma oportunidade privilegiada de estabelecermos diálogo com uma epistemologia e uma realidade social em geral pouco conhecida, com uma Outridade ainda invisibilizada. Um livro do Selo Sueli Carneiro, coordenado por Djamila Ribeiro.

Ficha Técnica

Editora:Jandaíra
Páginas:168
Categorias:1. Mulher negra - Quilombo. 2. Mulher negra - comunidade quilombola - relações sociais. 3. Relações étnicas e raciais. 4. Quilombo - identidade cultural. 5. Quilombo - identidade social. 6. Discriminação racial. 7. Escritoras negras - quilombola.
Edição:
Lançamento:2020
ISBN:978-65-87113-18-0
Estado de Conservação:Novo